Artigos

Expressar-se em bom português quando necessário

Expressar-se com segurança e com correção é muito importante em qualquer ambiente social. Do mais simples ao mais exigente, a expressão comunicativa precisa passar ao nosso interlocutor (aquele que nos ouve ou lê nosso texto) segurança, firmeza, objetividade, precisão e clareza. É preciso reconhecer o valor disso em qualquer interação social: seja na paquera, na entrevista de emprego etc. Quem se expressa mal acaba perdendo importantes oportunidades.

E falar bem não tem necessariamente a ver com usar palavras raras. Há pessoas, por exemplo, com linguajar simples que nos dão verdadeiras lições de expressão. Por outro lado, há pessoas que, mesmo sendo ricas em erudição, pouca adesão conseguem de seus ouvintes ou de seus leitores.

Em resumo, a comunicação exige, num primeiro momento, empatia; a educação; tom de voz na medida certa; e exige saber ouvir.

Ao ouvir, é importante saber escutar para, depois, falar de forma equilibrada, ou seja, para oferecer ao outro resposta adequada e exata para aquilo que lhe foi questionado. Fazendo isso, seu interlocutor possivelmente concluirá que você é uma pessoa polida, objetiva e precisa quanto ao que diz.

Segundo passo comunicativo: se está em um ambiente formal, fale pausadamente e de forma escorreita (com correção). Expressando-se assim, seu interlocutor chegará à conclusão de que você é alguém prudente, organizado e preparado. Afinal, a expressão em linguagem escorreita simboliza o esforço de quem dá valor a algo pouco aproveitado pelos demais falantes: o enriquecimento do próprio idioma.

Como sabemos que você veio atrás de expressões formais para tornar seu português mais cativante nos seus diferentes encontros, vamos apresentar a você dez dicas bacanas:

1º – Elimine as redundâncias

Expressões como elo de ligação, surpresa inesperada, há anos atrás, minha opinião pessoal, panorama geral, juntamente com, outra alternativa, repetir novamente, fato verdadeiro, comparecer pessoalmente não passam de vício linguístico e devem ser evitadas.   

2º – Organize a pessoa do discurso:

São comuns nas redes sociais aquelas frases prontas do tipo se sentindo triste. Nada disso! Como é você em seu eu (com o perdão da redundância), o correto seria escrever o seguinte: hoje estou me sentindo triste.

Portanto, na formalidade não existem expressões como Nós se sentimos abandonados pela prefeitura. O correto é Nós nos sentimos abandonados pela prefeitura.

3º – Não use “Haviam” para expressar “existir”

O correto é usar o singular: Havia dias em que eu trabalhava em casa.

Mesmo em locução, o correto é trabalhar o singular na expressão com o verbo haver: pode haver falhas no projeto.

4º – Não existe “ao meu ver”

O correto é “a meu ver” como o da passagem: A meu ver, é importante não se aglomerar neste período.

5º – Não use Gerundismo, porque é vício!

O gerundismo mais comumente escutado é aquele que indica uma soma de futuro, verbo no presente, verbo no infinitivo e verbo no gerúndio. Percebeu a complicação linguística por trás de um  amanhã, vamos estar entregando o produto para a senhora.

Simplifique o discurso e se expresse com correção: amanhã, entregaremos o produto para a senhora.

6º – Não abuse do uso do pronome relativo ONDE.

Este pronome só pode ser usado para referência a lugar físico.

Exemplos:

  1. Eu participei de uma reunião onde discutimos estratégias de venda. (errado o emprego do “onde”, porque reunião é um evento; não é um lugar).

Correção: …uma reunião em que (ou na qual)…

7º – Reescreva mentalmente o verbo com partícula SE para verificar se deve haver plural.

Exemplos:

  1. Verificaram-se falhas no sistema. (correto porque há plural em falhas no sistema foram verificadas)
  2.  Observa-se erros de cálculo. (errado, visto que erros de cálculo são observados; logo, observam-se erros de cálculo é a expressão correta).

8º – Esqueça o vicioso “a nível de”.

No lugar de a nível de, use em se tratando de…

9º – Não use o verbo preferir ou o adjetivo preferível com intensificadores

Exemplo: prefiro mil vezes mais, é muito mais preferível…(expressões incorretas).

Correto seria usar o verbo preferir sem intensificadores e na forma “prefiro x a y”. Exemplo: prefiro lidar com vendas a coordenar equipes.

10º – Use o verbo “focar” sem preposição.

Exemplo: vamos focar no atendimento ao público. (errado)

Vamos focar o atendimento ao público. (correto)

Bom, espero que tenham gostado das dicas!

Grande abraço a todos! Júnia Andrade Viana

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 2 =